Adeus Lenin! (Good Bye Lenin!) – 2003

26 jul

Good Bye Lenin! É bem diferente do que eu esperava. Lenin/MurodeBerlin/AlemanhaOrientalOcidental/comunismo/etc são pano de fundo do filme. Sem atores desconhecidos. O filme é alemão (é, para um pouco de ficar assistindo só filminho USA, né?!). É um drama romântico. E o esforço do filho para reproduzir uma Alemanha pré queda do muro é demais!


Trailer com legenda em português (mas o som tá horrível)

Sinopse: Na Alemanha Oriental em 1989, mãe presencia o filho protestar contra o regime político e ser preso pela polícia. Ela sofre um ataque cardíaco e entra em coma. Alguns meses depois ela recobra a consciência, mas o mundo passou por uma série de mudanças.

Sherlock Holmes – 2009

20 jul

Sherlock Holmes 2009 é bem diferente do censo comum em relação a Sherlock ou Watson. Bem diferente! O filme é cheio de ação, porrada, intrigas, boas piadas, locações iradas e bons efeitos especiais. Difícil imaginar algo muito fora disso já que a direção fica por conta de Guy Ritchie.

O Elenco é de peso: Robert Downey Jr (Homem de Ferro I e II), Jude Law (Alfie e Closer), Mark Strong (RocknRolla e Robin Hood) e Rachel McAdams (Tudo em Família e Penetras Bom de Bico).

Sinopse: A história do filme se passa no final do século XIX, onde, junto com seu fiel amigo e companheiro de investigações Dr. John Watson, Sherlock Holmes está investigando o caso de um misterioso feiticeiro, Lorde Blackwood. No entanto, esta parece ser uma das últimas investigações que os amigos fazem juntos, já que a real intenção do Dr. Watson é se casar com uma elegante moça. Por sua vez, Holmes não está confiante com esta situação, pois teme que seu parceiro o abandone.

Apocalipse Now Redux – 1979

18 jul

Apocalypse Now Redux é foda demais! A versão Redux tem 201 minutos (49 minutos a mais que a versão lançada em 1979). Mesmo sendo tão longo não é nada cansativo.

O Coppola (Poderoso Chefão I, II e II) é gênio. O filme, que se passa durante a guerra do Vietnã, mostra um capitão enviado para matar um coronel (do seu próprio exército) que passou a operar por conta própria e utilizando seus meios nada convencionais.

O capitão é Martin Sheen – sim, ele é o pai do Charlie Sheen – (Chamas da Vingança e Os Infliltrados) e o coronel é, ninguém menos que, Marlon Brando (Poderoso Chefão I e II). Ainda tem Laurance Fishburne e Harrison Ford, bem novos e bem desconhecidos ainda.

Sinopse: Durante a guerra do Vietnã, capitão é enviado com alguns soldados para matar coronel do exército que enlouqueceu no meio da selva.

Os Deuses Devem Estar Loucos (The Gods Must Be Crazy) – 1980

15 jul

The Gods Must Be Crazy é foda! Não tem muito o que dizer. Eu acho que assisti na sessão da tarde quando era bem muleque, mas não me lembrava mais. O filme é dos bons. A introdução é irada – compara uma pequena tribo que vive quase como primatas num deserto com o homem contemporâneo. Não vou falar muito do filme para não estragar. Veja o trailer e alugue logo esse filme =)

Sinopse: Uma garrafa de Coca-Cola é jogada de um avião sobre uma tribo africana e seus habitantes pensam tratar-se de um presente dos deuses. Logo o ‘presente’ torna-se um detonador de conflitos e o nativo Xi é encarregado de devolver a dádiva, causando inúmeras confusões.
ps: acho melhor eu repensar o nome desse blog. De volta à agência, tá foda publicar um post por dia hehe

É Proibido Fumar – 2009

8 jul

É Proibido Fumar é um filme brazuca bem bacama. Protagonizado pela Glória Pires e o titã Paulo Miklos. Eu não gostei muito da Glória Pires nesse papel. Sei lá, não achei que encaixou muito. Mas isso não prejudica o filme.

A história mostra o envolvimento entre uma mulher que vive sozinha (uma vida chata pra caralho) num apartamento em SP e um cara que acabou de se mudar pro apê ao lado. Os 2 são ligado pela música, ambos tocam violão e vivem disso. Apesar do nome do filme o cigarro não é quase nada importante na trama, é só um detalhe. O filme poderia muito bem se chamar Tocando Violão ou Da Música Vivemos haha

De qualquer forma é um filme muito bem produzido e com um orçamento bem baixo. Fotografia bacana e direção de arte também (apesar de simples). O que eu mais gosto é que não é um filme com a cara da Globo – como a maioria dos filmes nacionais.

Sinopse: Baby é uma professora de violão que vive sozinha. Com a mudança de Max, um músico de bar, para o apartamento vizinho ao seu, ela tem a chance de viver um grande amor. Mas, para conquistar o amor, terá que abrir mão de seu mais antigo companheiro: o cigarro.

Encontros e Desencontros (Lost In Translation) – 2003

7 jul

Lost In Translation é o segundo longa feito por Sofia Coppola. É uma obra prima. É drama, é romance, é melancolia, é humor. Tudo na medida certa. O filme te faz rir, mas não gargalhar. Te deixa triste, mas sem chororô. Provoca a reflexão, o tempo todo!

Bill Muray (Caça Fantasmas I e II e Flores Partidas) e Scarlett Johansson (Vicky Cristina Barcelona e Scoop – O Grande Furo) estão numa sintonia que não é fácil de ser vista. É difícil imaginar outros atores para o personagem e isso é impagável. É um romance puro, problemático, sem sexo. O trailer já é foda…

Sinopse: Bob Harris é um ator de sucesso, e bem que podia estar representando Shakeapeare em algum teatro pelo mundo e sendo feliz. Em vez disso, ele está em Tóquio para gravar um comercial de uísque que vai colaborar bastante com sua conta bancária. A diferença de fuso horário deixa Bob totalmente confuso, e ele não consegue pegar no sono quando devia, passando as noites no bar do luxuoso hotel onde se hospeda. Pelo menos ele tem companhia: a jovem Charlotte, que veio ao Japão com seu marido, um fotógrafo workaholic que a deixa sozinha o tempo todo e parece estar mais à vontade com celebridades que com a própria mulher.

Geração Punk (Blank Generation) – 1980

6 jul

Blank Generation conta uma história que se passa durante a cena punk no fim da década de 70. Apresentações no CBGB. Mas de punk mesmo não tem muita coisa. O filme, na real, conta o romance entre um vocalista que está tentando viver da música e uma jornalista francesa que está passando um tempo nos EUA.

O filme vale muito a pena: 1 pela trilha sonora (é bem foda!); 2 Andy Wharol e 3 Carole Bouquet que é gata demaaais.


Se você quiser ver um trailer mais dramático e nada punk, clique aqui.

Sinopse: Uma jornalista que se envolve em uma tumultuada relação com um punk (Richard Hell) em East Village. Com a participação da banda de Hell, os Voivods.

Blank Generation

Quando um Homem Ama uma Mulher (When a Man Loves a Woman) – 1994

5 jul

When a Man Loves a Woman é um drama/romance. É, é um filme pra mulher. Você já sabe como o filme vai acabar quando ele ainda está na metade. Mas mesmo assim é um bom filme. Emociona. Comove. Apesar de todos os clichês é um filme com uma carga de realidade muito grande, não é nenhum conto de fadas e isso faz o filme.

Longe do aspirante a mafioso de 1990: Andy Garcia (Os Intocáveis e Poderoso Chefão III). Longe da pura mulher que conquista um anjo: Meg Ryan (Top Gun e Cidade dos Sonhos). Os dois estão muito bem. E no meio do filme é quase possível odiar a Meg Ryan, mas não dá! Ela é muito gata! hehe

Sinopse: Mulher alcoólatra tenta livrar-se do vício para manter o casamento e cuidar das duas filhas.

Se Nada Mais Der Certo – 2008

4 jul

Se Nada Mais Der Certo é uma raridade do cinema nacional. É, de longe, um dos melhores filmes que eu vi no últimos tempos.

O filme é de 2008 mas a história se passa em 2006. São Paulo. Mostra o encontro de um jornalista freela fudido de grana, uma lésbica (não tão lésbica assim) que vende cocaína e topa umas furadas por grana e um taxista em depressão. Os 3 fudidos na vida. Melacolia pura. Sem esperanças. Tentam fazer o certo (na maioria das vezes) mas nada dá certo. Tudo leva a apelar e é o que fazem.

Locações bacanas e bem paulistas – baixo augusta, centro velho. Elenco muito bem: Cauã Reymond (À Deriva e Odiquê), Caroline Abras (Belini e o Demônio) e João Miguel (Estômago e Tropa de Elite II). Ainda tem também Milhem Cortaz (Tropa de Elite I e II) fazendo o papel de um travesti. E a trilha sonora é bem foda.

Sinopse: 2006. Léo é um jornalista que cobre eventos para jornais de fora de São Paulo, cidade em que vive. Ele está com sérios problemas financeiros, piorados devido ao atraso com que são pagos os trabalhos que realiza. Ângela divide o apartamento com Léo e tem um filho de 6 anos, que é praticamente criado por sua empregada. Depressiva, ela fica boa parte do dia na cama e à noite sai em busca de diversão. Em uma noite Léo resolve gastar o pouco dinheiro que tem e, por acaso,conhece Marcin, que se veste como homem mas possui trejeitos de mulher. Logo ficam amigos e decidem beber, tendo ainda a companhia de Wilson, um taxista que acredita precisar de um psiquiatra. Aos poucos surge entre eles um forte laço afetivo, aumentado ainda mais quando decidem aplicar golpes.

Dublê de Anjo (The Fall) – 2006

4 jul

The Fall é genial. É lindo. É cativante. É surreal.

A fotografia e a direção de arte são sublimes. Uma locação mais bonita que a outra. O filme navega entre a fantasia e a realidade tão intensamente. É um sonho muito louco, Dali na veia! A meniniha do filme é demais, boa atriz e bem engraçada.

Sinopse: Nos anos de 1920, num hospital do subúrbio de Los Angeles, um homem ferido começa a conversar com uma amiga também paciente. Ela é uma garotinha que está com o braço quebrado. O homem passa a contar a ela uma história fantástica sobre cinco heróis mitológicos. Graças à criatividade dele e à vívida imaginação dela, logo a linha tênue que separa a ficção da realidade começa a ser percebida na medida em que a história avança.